Quinta-feira 13/10/22

Sur les traces de Guy Tirolien
guy tirolien

Sinopse

O filme Nos Passos de Guy Tirolien traça a história do poeta e político de origem Marie-Galantais que deixou a sua marca na imaginação do povo de Marie-Galantais e muito mais além com os seus alexandrinos, mas que preferiu permanecer na sombra dos poetas da negritude. Um Guadeloupean que sonhava com um destino diferente para a sua ilha, mas que estava talvez demasiado à frente do seu tempo para questionar o status quo político da época. Visceralmente ligado à sua terra natal, mas também à África, aproveitou a oportunidade da sua carreira política como administrador colonial para participar clandestinamente na independência de países africanos nos anos 60, como a Guiné, ao lado de Sékou Touré ou Mamadou Madeira Keita. Através de um mise en abyme dos seus poemas na arte, o filme tenta retratar a viagem deste homem de poesia e empenho e tenta elucidar a seguinte questão: Como foi Guy Tirolien capaz de conciliar as suas convicções anticolonialistas com as suas funções de administrador nas colónias durante o período da independência africana? Este documentário, que dá orgulho à arte, visa antes de mais prestar homenagem a Guy Tirolien: à sua poesia, aos seus compromissos políticos e humanistas em África e em Guadalupe.

O DIRECTOR

Yaël Selbonne

Yaël Selbonne é jornalista, autora e realizadora de documentários. Ela nasceu em Marie-Galante. Apaixonada por desporto, saúde física e mental e nutrição, juntou-se ao sítio web L'équipe dos media desportivos durante três anos para produzir reportagens e artigos sobre estes temas. Em 2018, juntou-se ao grupo Canal+ como directora da revista de animais Les animaux de la 8 difundida no C8. Ao mesmo tempo, escreveu e co-escreveu vários documentários, incluindo o filme Les oubliés chinois de la Grande Guerre (Os Chineses Esquecidos da Grande Guerra ) transmitido em França 3 Haut-de-France em 2018, e Léopold Héder, la French Guiana au ceuur (Léopold Héder, o coração de ) transmitido em 2021 em French Guiana La 1ère. Ela também empresta a sua voz ao documentário Addi Bâ, fils de Guinée, fils de France transmitido em 2019 na Vosges Télévision. Em 2021, é jornalista e directora de reportagens culturais e sociais sobre os territórios ultramarinos franceses, para o programa Les Témoins d'Outre-mer transmitido em France 3. Em 2020, assinou a sua primeira longa-metragem com a produtora Cinquillo Films, e o filme Sur les traces de Guy Tirolien (Nas pegadas de Guy Tirolien ), do qual é a escritora e realizadora.

Um filme de Yaël Selbonne

França, Guadalupe / 2022 / Tempo de duração: 52 min

Cinquillo Films - Criança selvagem - Dia de noite 

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

19h00

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

No Portal Overseas France

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

tras_su_huella

Sinopse

O meu irmão foi morto a 6 de Dezembro pelo exército colombiano, e a minha família só me disse três dias depois, quando ele já estava enterrado. Desde então, também perdi a minha mãe, que foi mergulhada no silêncio, esmagada pelo mal-estar de que o estado que a devia proteger era precisamente o que lhe tinha tirado o seu filho. Hoje volto ao lugar que amo e odeio, para fazer uma viagem do meu coração ao dela, para a encontrar a ela e a nós, para seguir os seus passos, pois ela parece estar a seguir os passos do meu irmão desde a última vez que ele saiu de casa vivo.

 

O DIRECTOR

Robert Brand Ordoñez

Robert Brand Ordoñez é um estudante colombiano no seu último semestre de estudos cinematográficos e televisivos na Universidade Nacional da Colômbia. Os seus projectos de guião têm sido destacados em diferentes eventos nacionais e internacionais. Encontra-se actualmente na fase de desenvolvimento da curta-metragem El Olvido, vencedor do renascimento do Fundo Colombiano de Desenvolvimento Cinematográfico na categoria de ficção, que é também um projecto de tese. Participou no EICINE San Sebastian 2017.

Um filme de Robert Brand Ordoñez

Colômbia / 2021 / Tempo de funcionamento: 8 min

Filmes Magolita

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

20h15

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

Sinopse

Em 2017, Elzéa Foule Aventurin, autora de Karukera ensoleillée, Guadeloupe échouée (1980), entregou-se a uma série de entrevistas com a sua neta. Juntos eles refazem, não sem malícia, uma história familiar, navegando de uma extremidade do Atlântico Negro para a outra.

O DIRECTOR

Annabelle Aventurin

Annabelle Aventurin é responsável pela conservação e distribuição dos arquivos Med Hondo no Ciné-Archives (colecção audiovisual da PCF e do movimento dos trabalhadores). Em 2021, com o apoio do Harvard Film Archive, coordenou a restauração das Índias Ocidentais (Med Hondo, 1979) e Sarraounia (Med Hondo, 1986). Foi também programadora do FLiMM, o Festival Livre de Média Metragem no DOC, no 19º arrondissement de Paris, durante os últimos 6 anos.

O Rei não é meu primo é o seu primeiro ensaio documental.

Um filme de Annabelle Aventurin

França, Guadalupe / 2022 / Duração: 30 min

Produção Annabelle Aventurin

Selecção para o Festival Cinéma du Réel 2022

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

17h00

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

A LOVE SONG IN SPANISH

Sinopse

Ela vive em monotonia e solidão, os seus dias não são mais do que acções rotineiras e repetitivas. Depois pára, e no silêncio lembra-se do corpo de um homem ferido pela guerra. Ela tenta libertar-se da memória, mas a memória percorre a sua pele. Uma representação biográfica entre o director e a sua avó para confrontar a ditadura doméstica da sua família.

O DIRECTOR

Ana Elena Tejera

Ana Elena Tejera é uma realizadora, intérprete e actriz panamenha. Ela é uma artista em residência no Le Fresnoy. Trabalhou no restauro de parte do arquivo cinematográfico panamenho na Filmoteca de Catalunya e na criação do "Festival de la Memoria", uma performance artística e instalações em espaços urbanos recontextualizados com imagens de arquivo político. Tem também trabalhado na mistura de imagens audiovisuais.

Um filme de Ana Elena Tejera

Panamá, França / 2021 / Duração: 24 min

Le Freysnoy - National Studio for Contemporary Arts, Morethan

Selecção Oficial 37ª Berlinale 2021

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

17h00

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

La fabrique des pandémies

Sinopse

SRA, Ébola, febre de Lassa, ou Covid-19: desde os anos 2000, a humanidade tem sido confrontada com pelo menos uma nova doença infecciosa por ano. Todas estas doenças emergentes são zoonoses, doenças transmitidas dos animais para os seres humanos. Ao precipitar o colapso da biodiversidade, as actividades humanas são responsáveis por esta "epidemia de pandemias", de acordo com muitos cientistas. A resposta que propõem a esta ameaça é "saúde planetária": um conceito global de saúde que cuida dos seres humanos, animais e ecossistemas. Juliette Binoche conhece estes "ecologistas da saúde" e descobre como, na linha da frente da desflorestação, monoculturas e criação industrial, bem como das alterações climáticas, muitos cães de guarda científicos nos quatro cantos do mundo estão a monitorizar a propagação de novos agentes patogénicos e a trabalhar com as populações locais para limitar os riscos.

E as provas são claras: se não abordarmos as causas ambientais, os alertas pandémicos tomarão conta das nossas vidas e os custos - financeiros, humanos e ecológicos - serão colossais

O DIRECTOR

Marie-Monique Robin

Marie-Monique Robin nasceu em 1960, numa quinta em Poitou. Depois de estudar na Alemanha, formou-se no Centre Universitaire d'Enseignement du Journalisme (CUEJ). Começou a sua carreira na agência Capa, para a qual realizou numerosos documentários de investigação. Em 2011, criou uma empresa de produção cidadã com a sua família. Em 38 anos, Marie-Monique realizou mais de 200 relatórios e documentários. Uma dúzia deles está associada a livros. Vencedora de cerca de trinta prémios internacionais, recebeu o Prémio Albert-London em 1995, e em 2009 o Prémio Rachel Carson na Noruega. Em 2016, foi-lhe atribuído o prémio Christophe de Ponfilly pela SCAM por todo o seu trabalho.

Um filme de Marie-Monique Robin

França / 2022 / Francês (+ Inglês, Tailandês, Malgaxe, Masai) / Tempo de duração: 1h47

Filmes M2R - Ushuaïa TV 

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

20h25

  ONLINE

Não disponível

 

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

Sinopse

Em Moune Ô, Maxime Jean-Baptiste continua a investigação iniciada em Nou Voix (2018) sobre a memória colonial, a diáspora Guianesa e a encenação de corpos negros. Ao questionar a construção de narrativas 'oficiais', o filme Moune Ô encoraja uma mudança de perspectiva relativamente à ligação entre a colonização e o extrativismo.

O DIRECTOR

Maxime Jean-Baptiste

Maxime Jean-Baptiste é um cineasta sediado entre Bruxelas e Paris. Nasceu e foi criado no contexto da diáspora Guianesa e das Índias Ocidentais em França, para uma mãe francesa e um pai Guianês. O seu interesse como artista é mergulhar na complexidade da história colonial ocidental, detectando a sobrevivência de traumas passados no presente. O seu trabalho audiovisual e performativo centra-se em arquivos e formas de reencenação como uma perspectiva para conceber uma memória viva e encarnada. O seu primeiro filme Nou voix (2018) foi seleccionado em cerca de 30 festivais e exposições de arte, e recebeu o Prémio do Júri no Festival des Cinémas Différents et Expérimentaux em Paris (FR).

Um filme de Maxime Jean-Baptiste

Bélgica, French Guiana, França / 2021 / Duração: 17 min

Filmes de Olhos Quadrados

Selecção expandida do Fórum da 72ª Berlinale 2022.

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

17h00

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

Sinopse

Wani Doudou é canalizador no rio Haut-Maroni em French Guiana. Desde que o seu pai, o chefe habitual da comunidade, morreu, ele sente um vazio existencial. Mas o seu pai transmitiu-lhe um conhecimento precioso: o do tambor tradicional, utilizado para o luto. Apesar da sua perda, quando um aldeão morre, Wani, acompanhado pelo tambor que o seu pai lhe deixou, envolve-se activamente na cerimónia Puu Baaka, a cerimónia de luto. Viajando através do rio e da floresta selvagem, é constantemente habitado pelo espírito do seu pai falecido.

OS DIRECTORES

Nicolas Pradal

Depois de estudar Sociologia e Antropologia, Nicolas Pradal juntou-se à ENSAV. O seu filme de graduação Dreams and the Law retrata a difícil situação do povo aborígene australiano. Esta viagem irá fossilizar questões que ele continuará a explorar na sua escrita futura. Em 2009, iniciou um documentário em French Guiana sobre o território ameríndio. O contexto sensível vai torná-lo consciente da necessidade de construir um filme colaborativo. Uma forte experiência de dez anos no território levá-lo-á a fazer várias obras e a conhecer a comunidade Bushinenge, o que o levará a realizar o documentário Wani com o seu co-director Kerth Agouinti.

Kerth Agouinti

Kerth Ziggy Agouinti tem 28 anos e vive em Maripasoula em French Guiana. Sempre foi apaixonado pela fotografia e pelo vídeo, mas foi em 2015 que entrou na indústria audiovisual e cinematográfica fazendo um curso de pré-qualificação e depois vários cursos (JRI, retrato...). Wani é o seu primeiro documentário, co-dirigido com Nicolas Pradal, que conheceu durante as filmagens de uma cerimónia de luto em Papaïchton. Ele deseja continuar a dirigir, em particular para falar mais sobre a sua cultura e as suas muito ricas e complexas tradições aluku que tendem a perder-se pouco a pouco ao longo dos anos.

Um filme de Nicolas Pradal e Kerth Agouinti

França, French Guiana / 2022 / Mawina tongo, francês / Duração: 52 min

5°Nord Productions - Y.N Productions - La Cuisine aux Images

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

19h00 - Na presença dos directores

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

No Portal Overseas France

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

vai cavalo

Sinopse

No nordeste do Brasil, Dirlinho e Edivan arriscam as suas vidas em cada corrida de Prado na esperança de se tornarem jockeys profissionais.

Para Dirlinho de 12 anos, correr em frente de uma multidão electrificada é a sua única hipótese de escapar ao seu destino. O seu sonho é deixar a sua aldeia para se tornar um jockey profissional na cidade de Fortaleza. Trata-se de dedicação, de corpo e alma, para uma pequena hipótese de rompimento. Na sua esteira, o seu primo Edivan quer tornar-se alguém, para existir neste Brasil imperdoável. Como jovens adolescentes, têm de superar os seus medos. Mas se quiserem crescer demasiado depressa, não perderão uma parte de si próprios?

OS DIRECTORES

Harold Grenouilleau

Harold Grenouilleau trabalhou como editor chefe e depois como director artístico para os grupos France Télévisions, Canal + e Europa Corp. Vive no Brasil desde 2011 e co-dirigiu vários documentários com a Babel Doc. Vai Cavalo é o seu primeiro filme como realizador-escritor, fruto de uma maturação profissional e de um profundo desejo de colocar os seus talentos ao serviço de um documentário com ambições cinematográficas.

Vincent Rimbaux

Vincent Rimbaux vive no Brasil desde 2003, seguindo as notícias do continente enquanto perseguia projectos a longo prazo: Olhar bom de bola, um documentário sobre crianças na "Cidade de Deus"; e a sua primeira longa-metragem, Vertige de la Chute(Ressaca no seu título original português), uma metáfora a preto e branco para o declínio de um país. Aclamado em numerosos festivais, Ressaca recebeu aclamação internacional quando ganhou um Prémio Internacional Emmy na categoria de Artes em 2020.

Um filme de Harold Grenouilleau e Vincent Rimbaux.

França, Brasil / 2022 / Português Brasileiro / Tempo de duração: 1h06

Babel doc

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

22h20

  ONLINE

Disponível na quinta-feira 13 de Outubro de 2022

 

En French Guiana - Ultramar - Haiti - França  

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

Sinopse

Dois irmãos decidem procurar os membros das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) que mantiveram a sua mãe em cativeiro durante dois anos. Antes de morrer, ela perdoou os seus captores, o que fez com que os irmãos se perguntassem se eles também podiam perdoar, se podiam encontrar e falar com os guerrilheiros que a mantinham. Com a ajuda do diário que lhe foi permitido escrever durante o seu cativeiro, encontram lugares, decifram nomes e iniciam uma viagem pelas selvas e montanhas no rasto da dor da sua mãe, mas também o caminho para o perdão.

O DIRECTOR

Iván Guarnizo

Editor, cineasta e realizador com quase vinte anos na indústria audiovisual, Iván Guarnizo trabalhou numa grande variedade de formatos e temas, desde longas-metragens e documentários a peças curtas e vídeos, trabalhando em todo o mundo, desde as Américas até África e Ásia.

O seu trabalho mais reconhecido tem sido como editor de longas-metragens premiadas, incluindo "O Paciente de Jorge Caballero" (IDFA 2015 - selecção oficial).

Tem-se concentrado ultimamente como realizador e cineasta, realizando tanto longas-metragens como vídeos mais curtos. A sua última longa-metragem documental Del otro lado recebeu apoio de vários fundos internacionais, tais como o Fundo Bertha do IDFA em 2019 e o Fundo de Acesso a Todos os Filmes do Tribeca Film Institute em 2019.

Um filme de Iván Guarnizo

Colômbia / 2021 / Espanhol / Tempo de duração: 1h26

Filmes de Gusano

Hot Docs 2021 - Toronto, Canadá, Prémio do Público para Melhor Documentário no Cinélatino 2022 -Toulouse

ONDE VER O FILME?

  NO CAMPO DE TRANSPORTE

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2022

 

20.30h - Na presença do director

  ONLINE

Não disponível

 

Veja o reboque

ENCONTRAR OS FILMES SELECCIONADOS PARA O FIFAC 2022

Anterior Próximo
Fechar
Legenda do teste
A descrição do teste é a seguinte
favicon-fifac

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

Para se manter informado sobre as notícias da FIFAC,
por favor preencha o formulário abaixo: